junho 15, 2016


A história do homem poderia se reduzir à história das relações entre as palavras e o pensamento. Todo período de crise se inicia ou coincide com uma crítica da linguagem. De imediato se perde a fé na eficácia do vocábulo: "Tive a beleza em meus joelhos e era amarga", diz o poeta. A beleza ou a palavra? Ambas: a beleza não é palpável sem as palavras. Coisas e palavras sangram pela mesma ferida. Todas as sociedades passaram por essas crises de suas bases que são sobretudo crises do sentido de certas palavras.

PAZ, O. O arco e a lira. Rio de Janeiro: Nova fronteira, p. 35